Categorias: Transportadoras

Como calcular o frete de transportadora?

Ao contrário do que muitos pensam saber como calcular o frete de transportadora não é uma tarefa fácil. Afinal, o que não faltam nesse caminho são variáveis. Hoje você conhece por aqui o que pesa nessa conta, que tem como objetivo garantir o lucro da empresa, mas também cobrir as despesas operacionais dessa tarefa complexa.

Tipo de contratação praticada

Primeiramente, existem três tipos principais de contratação que podem ser feitas nesse mercado. Cada uma delas influencia diretamente em como calcular o frete de transportadora, pois incluem ou não gastos extras. Conheça:

1) Envio direto: nesse caso, a operação não inclui um terceirizado. Dessa forma, a coleta é feita direto no remetente e a entrega no destino final sem intermediários. É o tipo mais comum e mais em conta;

2) Subcontratação: aqui, é quando ocorre a contratação de uma segunda empresa parceira e será ela que fará o transporte. Geralmente, é usada para ampliar o raio de alcance ou oferecer prazos menores;

3) Redespacho: por fim, se a transportadora não atende uma determinada região, ela pode fazer uma parte do trajeto e contratar outra para fazer o restante. Sendo assim, existe o redespacho da carga nesse segundo percurso.

Calcular o frete da transportadora também conta a carga

Da mesma maneira que a contratação tem sua parcela, o tipo de carga também. Ela pode ser fechada ou fracionada. No primeiro, uma única pessoa ocupará todo o veículo com seus pertences ou materiais. No segundo, o frete é dividido entre uma ou mais pessoas, barateando o serviço.

Quando a carga é fracionada, geralmente é feito um cálculo do peso, espaço ou cubagem que ela ocupa. Assim, o valor será fechado proporcionalmente ao volume do envio.

Entretanto, também poderá ser levado em conta o valor da carga e suas características, já que em algumas situações são necessários veículos e cuidados específicos, como com materiais perecíveis ou industriais.

O que mais conta para calcular o frete da transportadora

Por fim, a complexidade do cálculo não para por aí. Ainda são considerados nessa matemática os seguintes itens:

  • 1) Distância percorrida;

  • 2) Pedágios e seguros obrigatórios;

  • 3) Características do destinatário, se for um lugar perigoso, por exemplo, costuma ser cobrada uma taxa extra;

  • 4) Modal de transporte, já que nem todas as regiões são acessíveis por caminhão, carro ou van. Em alguns casos é preciso usar aviões ou até balsas e motos;

  • 5) Impostos e cobranças específicas e legais, como Taxa de Restrição de Trânsito (TRT), Taxa de Dificuldade na Entrega (TDE), frete mínimo, ICMS, entre outros.

Se você está montando sua transportadora, é preciso cuidado e critério para anotar todos os custos e variáveis e não errar no cálculo. Já se seu objetivo é contratar uma empresa, lembre-se de sempre pesquisar bastante e tirar suas dúvidas sobre as opções disponíveis.

Pedir orçamento de mudança ou carreto grátis